<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1298863600466566&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

“Precisamos difundir a cultura da cooperação judiciária no Brasil”, afirma o conselheiro Mário Guerreiro

por Marcelo Luiz Galli, em 30/07/2020 22:53:02

“Precisamos difundir a cultura da cooperação judiciária no Brasil, ainda estamos engatinhando nesse campo”, afirmou o conselheiro Mário Guerreiro, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em live sobre o tema promovida pela Escola Nacional da Magistratura (ENM), da AMB, nesta quinta-feira (30).

Ele é o responsável no CNJ pela elaboração de minuta de resolução que regulamenta a possibilidade de os juízos formularem entre si pedidos de ajuda para a prática de atos processuais. Segundo o conselheiro, a proposta prevê também a colaboração com outras instituições. Mario Guerreiro disse que vai pedir pauta para a minuta ser julgada em breve.

Especialista no assunto, o advogado Fredie Didier avaliou que a cooperação é um instituto jurídico que deve ser “conhecido” e “praticado” para tornar a prestação jurisdicional mais célere e eficiente. Ele é autor do livro “Cooperação Judiciária Nacional – esboço de uma teoria para o Direito brasileiro”.

De acordo com o diretor-presidente da ENM, Caetano Levi Lopes, a instituição estuda a elaboração de um curso sobre o tema na modalidade EaD. A juíza Patrícia Cerqueira Kertzman Szporer, integrante do Centro de Pesquisas Judiciais (CPJ/AMB), também participou da transmissão ao vivo.

Confira aqui a live.

Tópicos:ENMDestaquescooperação judiciáriaCNJEscolaliveAMB - APPENM - APP

Comentários

Sobre essa página

Este é o local oficial de divulgação de informações e publicações da Escola Nacional da Magistratura. Inscreva-se abaixo e faça parte deste grupo exclusivo.

Mais...

Faça parte. Inscreva-se e receba em seu email.