<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1298863600466566&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Com agravamento da crise econômica, ENM capacita magistrados no curso de Recuperação Judicial

por Jonathas Nacaratte, em 20/04/2021 18:57:02

A covid-19 tem causado grandes impactos na economia nacional. Para se ter uma ideia, cerca de 09 milhões de funcionários perderam emprego com fechamento aproximado de 600 mil micro e pequenas empresas. Os dados são do Sebrae, divulgados em novembro de 2020. O agravamento da crise tem levado muitas entidades ao ajuizamento de ações de recuperação judicial, previstas na Lei 11.101/05, na tentativa de minimizar seus prejuízos e dos seus credores.

A recuperação judicial tem a finalidade de possibilitar a superação da situação de crise econômico-financeira do devedor, a fim de permitir a manutenção da fonte produtora do emprego dos trabalhadores e dos interesses dos credores, promovendo assim a preservação da empresa, sua função social e o estímulo à atividade econômica.

Com a alta deste tipo de demanda nos Tribunais, a Escola Nacional da Magistratura (ENM) ofereceu o curso para o aperfeiçoamento, reciclagem, qualificação, preparação e atualização dos magistrados que atuam em processos de recuperação empresarial e falências.

As aulas foram ministradas por Daniel Carnio Costa, juiz de Direito Titular da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo, professor da ENM e do departamento de Direito Comercial da PUC/SP, formado em Direito pela USP, mestre em Direito pela FADISP e doutor em Direito pela PUC/SP. Mestre em Direito Comparado pela Samford University/EUA.

 “Esses processos atingem diretamente um grande número de outras empresas e de consumidores que se veem atingidos pela suspensão de seus créditos e pela necessidade de se engajarem em negociação supervisionada como tentativa de conseguir a melhor posição possível sob o prisma de seus próprios interesses. A efetiva necessidade de superar processos de falência ou recuperação judicial, induvidosamente, exige domínio e amplo conhecimento e técnicas de todos os profissionais envolvidos”, disse.

A presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros, Renata Gil, participou do último dia de aula.

“O grande desafio do Poder Judiciário é efetividade e a celeridade. Está em nossas mãos gerar essa efetividade e fazer com que o processo não seja tão longo, principalmente, nesta área empresarial. Juízes desta área são responsáveis pelo equilíbrio da economia”, afirmou.

De acordo com a coordenação da Escola da ENM, o curso de Recuperação Judicial e Falência abrirá inscrições para uma nova turma, em breve.

Comentários

Sobre essa página

Este é o local oficial de divulgação de informações e publicações da Escola Nacional da Magistratura. Inscreva-se abaixo e faça parte deste grupo exclusivo.

Mais...

Faça parte. Inscreva-se e receba em seu email.